A transição para uma economia de baixo carbono visando o enfrentamento das mudanças climáticas, impõe a necessidade de transformações no mercado.

Diversos instrumentos financeiros vêm sendo criados com o intuito de viabilizarem a canalização de capital para o financiamento de atividades econômicas sustentáveis, dentre os quais os títulos verdes, sociais ou sustentáveis (Green, Social ou Sustainability bonds, em inglês).

Estes títulos temáticos são instrumentos de dívida emitidos por empresas, governos e entidades multilaterais negociados nos mercados de capitais com a finalidade de atrair capital para projetos que tenham como propósito um impacto socioambiental positivo.

O Brasil desponta como um destino de especial interesse para investimentos financeiros "verdes", em razão da sua matriz produtiva. Os fins mais destinados às verbas captadas na venda de títulos verdes são: energia renovável, eficiência energética, gestão de recursos naturais e hídricos, agropecuária de baixo carbono, conservação da biodiversidade, transporte limpo e tecnologias ecoeficientes.

Títulos temáticos na B3

Desde novembro de 2018, as emissões de títulos verdes, sociais ou sustentáveis (“os títulos sustentáveis”, referem-se aos títulos que possuem entregáveis tanto ambientais, quanto sociais) podem ser identificadas no ambiente da B3, inclusive na plataforma de negociação Trader. Os títulos temáticos registrados na B3 em 2019 somaram R$ 5,2 bilhões, sendo 15 emissões (14 debêntures e 01 CRI) de 10 empresas.

No contexto da estratégia ESG da B3, vamos promover debates e iniciativas para desmistificar e fomentar mais emissões destes títulos localmente, atuando em parceria com organizações do mercado especializadas no tema.

A B3 apoia a Plataforma de Transparência de Títulos Verdes para a região da América Latina e Caribe (Green Bond Transparency Platform) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para dar visibilidade aos títulos verdes registrados no Brasil e atrair mais investidores.