Índice de Sustentabilidade Empresarial | B3

Índice de Sustentabilidade Empresarial

23/06/2015

ISE 10 anos: B3 e GVces apresentam os destaques do novo questionário e a Plataforma de Indicadores do Índice


A B3 e o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) realizaram em 23/06, na FGV, evento destinado exclusivamente a jornalistas, com as novidades sobre o processo doÍndice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) para 2015 e uma avaliação dos 10 anos de sua criação. Foram apresentados os destaques do novo questionário do ISE e a Plataforma de Indicadores do Índice.

Entre os principais destaques do novo questionário estão uma maior ênfase ao posicionamento estratégico das empresas em relação à sustentabilidade e à geração  de valor compartilhado, com a criação de novo critério na Dimensão Geral; uma mudança de indicadores de outras dimensões para a Dimensão Geral, que passa a ser preenchida inclusive pelas empresas controladas; explicitação do conteúdo das dimensões por meio de matrizes lógicas; organização de temas transversais (educação, engajamento de stakeholders, governança, saúde e segurança, cadeia de valor); adequação dos questionários Social e Amb-IF a diferentes perfis de empresas, por meio da incorporação de “trilhas de perguntas”; e a ênfase a questões de governança de empresa públicas / economia mista e integridade na gestão.

Entre estes destaques, a criação do critério: Perspectiva Estratégica, na Dimensão Geral,enfocará o alinhamento estratégico da empresa com a sustentabilidade. A introdução deste novo critério reforça a importância do posicionamento das grandes empresas frente às mudanças que virão com o avanço da ‘economia verde’ e o aumento das demandas da sociedade por sustentabilidade.

O tema é tratado por meio de dois indicadores, que enfocam o posicionamento estratégico adotado pela empresa, e a busca da geração de valor compartilhado por meio da sua cadeia de valor. O objetivo é identificar empresas que, indo além da excelência na gestão de impactos, estão de fato analisando seus modelos de negócios e portfólios de produtos, visando uma relação de sinergia com os novos tempos: quanto maior a demanda por sustentabilidade, melhor para a empresa, e quanto maior a atividade da empresa, melhor para a sustentabilidade.

Outro destaque do questionário foi a inclusão, na Dimensão Governança Corporativa, de perguntas relativas a boas práticas de governança em empresas de economia mista (endereçando, por exemplo, o processo de seleção dos seus dirigentes e a transparência sobre decisões onde pode haver conflito entre os interesses comerciais da empresa e seu papel no contexto das políticas públicas). Também foram incluídas perguntas relativas a práticas de governança em empresas controladas (de capital fechado) e em temas como alinhamento estratégico com a sustentabilidade, combate à corrupção e promoção da diversidade nos níveis de direção.

Em 26/06 será divulgado o questionário a ser respondido pelas empresas candidatas a compor a 11ª carteira do ISE, que vigorará durante todo o ano de 2016. O período de respostas vai de 20/07 a 28/08, e as inscrições, que já estão abertas, vão até 14/08/2015. Podem participar as empresas emissoras dos 200 papéis mais líquidos da B3.

Sobre os destaques do questionário que foram apresentados, vale ressaltar que o questionário 2015/2016 é resultado da primeira versão do “Ciclo Longo”, um processo de revisão aprofundado que será realizado a cada três anos, e que considerou mais de 580 contribuições de empresas e outros stakeholders colhidas em um amplo processo de consulta, realizado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) em 2014 e 2015. O GVces, parceiro técnico da B3 no ISE, realizou também debates e consultas com especialistas nos temas abordados nas sete dimensões do ISE: Geral, Natureza do Produto, Governança Corporativa, Econômico-Financeira, Social, Ambiental e Mudanças Climáticas. Os resultados, debatidos e aprovados pelo Conselho Deliberativo do ISE no início de junho, indicam importantes tendências no campo da Sustentabilidade Empresarial.

Plataforma de Indicadores do ISE

A “Plataforma de Indicadores do ISE” poderá ser acessada a partir de 26/06 pelo site do ISE e oferecerá a todos os interessados estatísticas sobre o desempenho das empresas que participaram do processo seletivo do ISE desde seu lançamento, em 2005. São informações inéditas, que interessam a jornalistas, pesquisadores, organizações sociais e empresas (por exemplo, para benchmarking ou planejamento e revisão de seu desempenho) nos temas tratados pelo ISE que, em última instância, são um retrato da sustentabilidade do Brasil no período.

As informações cobrem todas as dimensões do ISE e, para o público em geral, são disponibilizadas de forma agregada, trazendo, para cada ano, a nota média das empresas respondentes e a das integrantes da carteira. Essa nota é sempre representada por um número de 0 a 100, refletindo o percentual de pontos feitos pelas empresas em cada indicador. Outros parâmetros, como melhor e pior desempenho, são também disponibilizados. As informações públicas não individualizam as respostas e notas de cada empresa, mas as empresas participantes, devidamente identificadas, podem ter acesso individualizado às suas próprias informações.

As informações contidas na plataforma irão ajudar no entendimento da evolução da agenda da sustentabilidade empresarial entre as grandes empresas brasileiras, e deverão, também, estimular o interesse público por aspectos específicos, que poderão ser detalhados conforme a demanda.

Questionário do ISE

O questionário do ISE é dividido em 7 dimensões, e cada dimensão é dividida em 3 a 5 critérios, os quais, por sua vez, são divididos em uma quantidade variável de indicadores. Ao todo, são 33 critérios, abrangendo 80 indicadores.  Os indicadores são, ainda, divididos em perguntas. A plataforma traz os resultados até o nível dos indicadores. Informações ao nível das perguntas podem ser disponibilizadas a pedido, havendo viabilidade técnica.

Entre as inúmeras possibilidades de levantamentos que podem ser feitos na Plataforma de Indicadores do ISE, uma delas mostra que na Dimensão Governança Corporativa, dentro do critério Propriedade, o indicador Cumprimento Legal apresenta um alto desempenho das empresas, com notas médias entre 80 e 95%, em todos os anos.

Na Dimensão Geral, dentro do critério Compromissos, o indicador Compromisso Fundamental apresenta evolução continua e altamente positiva, indo de uma nota média de 39 (em 2006) para 80%, (em 2014). Esse indicador, como o nome diz, avalia em que medida as empresas respondentes incluem a sustentabilidade e/ou o desenvolvimento sustentável em suas âncoras empresariais e compromissos públicos. Dentro desse mesmo critério, o indicador Compromissos Voluntários - que avalia a adesão das empresas a iniciativas e compromissos mais tangíveis – apresenta também um quadro positivo, mas mais limitado, com o desempenho médio indo de 47% em 2006 para 66% em 2014.

Na Dimensão Mudanças Climáticas, dentro do critério Gestão, o indicador Sistemas de Gestão é o que apresenta maior evolução, indo o desempenho médio das empresas de 25% (em 2012, quando o indicador começou a ser medido) para 59%, em 2014.

Finalmente, é importante reconhecer que – refletindo o papel do ISE como uma referência também sobre tendências emergentes – os indicadores revelam desafios às empresas: temas em que o desempenho é inferior, apesar do progresso observado. Um exemplo disso é o indicador Diversidade e Equidade, dentro do critério Desempenho, da Dimensão Social. Nesse caso, a nota média das empresas participantes chega a 37% em 2013 e 2014, o que é um patamar ainda baixo, porém muito acima do observado no período de 2005 a 2009, em que o mesmo esteve abaixo de 17%.