Em mais um passo para estimular o desenvolvimento do mercado brasileiro, a B3 reduz tarifas no mercado de ações

Mudanças serão implementadas ao longo do ano e terão impacto positivo para a expansão da base de investidores pessoas físicas

A B3 anuncia hoje um novo modelo de tarifação do mercado de ações. Um dos principais impactos se concentrará no pequeno investidor de varejo. Com as mudanças, a taxa mensal de manutenção de conta, que hoje chega a cerca de R$110 ao ano, será zerada permitindo que as corretoras ampliem a base de clientes pessoa física. A tarifa cobrada na negociação de ações na B3 também cai cerca de 10% para as pessoas físicas em geral.  

Além disso, clientes que tiverem até R$20 mil de saldo em custódia numa mesma corretora serão isentos das demais taxas de manutenção de conta, como as cobranças sobre o pagamento de proventos e valor em custódia. Esse conjunto de medidas atinge cerca de 65% da base de investidores pessoa física que hoje têm saldo em contas de renda variável na B3.

A redução de tarifas está alinhada à decisão, já anunciada pela B3 de compartilhar, com os clientes e o mercado, os benefícios dos ganhos de escala do seu negócio. A medida representa uma redução de aproximadamente R$250 milhões nas tarifas pagas pelos clientes da B3 no ano considerando os volumes negociados nos últimos 12 meses.

Em 2019, os investidores de varejo foram um dos destaques no crescimento do mercado de capitais brasileiro. O número de contas ativas na depositária da B3 saltou de 643 mil em jan/18 para 1,5 milhão de investidores em out/19, sendo que cerca de um terço dessas contas tem até R$5 mil investidos em renda variável.

O cenário de juros baixos deve continuar incentivando a mudança no perfil dos investimentos. O potencial de crescimento da pessoa física pode ser observado quando se considera que 65% dos investidores com este perfil pouco diversificaram sua carteira em 2019, investindo em apenas um tipo de produto de bolsa. Além disso, há quase 20 milhões de investidores em caderneta de poupança com saldo acima de R$5mil, que somam R$ 730 bilhões em depósitos, e podem buscar fontes alternativas que proporcionem maiores rendimentos.

A expectativa é que as mudanças sejam implementadas ao longo do ano, de acordo com a capacidade do mercado de adaptar seus sistemas e processos para a nova tarifação. 

Veja como fica, na prática, para um investidor de varejo que tem seus recursos aplicados numa corretora que não isenta a tarifa da manutenção de conta da B3. Para as corretoras que praticam essa isenção, a vantagem passa a ser um aumento bastante grande na capacidade de atrair novos clientes e fortalecer a presença desses investidores no mercado brasileiro.

Confira exemplos práticos e detalhes da nova estrutura para as operações de pessoas físicas com as corretoras que operam no mercado:

Tarifação B3

Tarifação B3

Tarifação B3

Além do foco em pessoa física, as mudanças nas tarifas equalizam práticas de preço entre os diferentes tipos de investidores, incentivam novos aumentos de volume e abrem espaço para o desenvolvimento de produtos como é o caso do empréstimo de ações.

A expectativa é que as mudanças sejam implementadas ao longo do ano, de acordo com a capacidade do mercado de adaptar seus sistemas e processos para a nova tarifação. Acesse a apresentação detalhada.

Para mais informações, acesse também o Comunicado Externo e Fato Relevante.